avaedoc

Início » Encontros » Atual » Encontro em 01mar2018 – Local: Arandu

Encontro em 01mar2018 – Local: Arandu

Lembrança das principais pautas definidas para o período/semestre (textos e outras referências serão oportunizados a cada sessão): seminários com pesquisadorxs convidadxs (Leandro Durazzo, Juliana Crelier); pesquisador do grupo (Glauco: pesquisa de mestrado em Antropologia Visual defendida na UFPE); apreciação dos trabalhos de estudantes da disciplina de Introdução à Antropologia Visual (ministrada por Oswaldo); apreciação do vídeo desenvolvido para a disciplina de Técnicas e Estéticas do Audiovisual II (ministrada por Oswaldo e João, com Muniz estagiário); apreciação do vídeo desenvolvido para a disciplina de Antropologia Visual II (ministrada por João, com Caio estagiário); apreciação das pesquisas fílmicas sobre cinema e expectorialidades (em João Pessoa, Caxambu/MG e no vale do Mamanguape) com imagens de Eduardo, Muniz e João em diferentes contextos (encontro da COMPÓS com André Dib, encontro da ANPOCS e pesquisa de mestrado).

Rodada de apresentações breves de cada pessoa (estudantes visitantes e pesquisadores avaedoc)

Apreciação e dicussão coletiva das imagens filmadas durante a procissão de Nossa Senhora dos Navegantes, entre a Baía da Traição e a Barra de Mamanguape (litoral norte da Paraíba), parte integrante de pesquisa desenvolvida por Oswaldo desde 2016. Construção de perspectivas de trabalho coletivo para um projeto de criação fílmica que ressalte a polifonia da festa, suas dimensões variadas entre a exuberância da natureza e o papel das marés e as diferentes peregrinações envolvidas no evento; comparação com pesquisas anteriores sobre folguedos populares em Minas Gerais e delineamento das tendências atuais das pesquisas sobre imagens da cultura popular (linha de pesquisa coordenada por Oswaldo) no Vale do Mamanguape. Outros pontos: estratégias de filmagem e concepções de polifonia; Babilônia de Eduardo Coutinho; preocupações éticas em relação às pessoas abordadas e a dimensão sagrada envolvida (ou como conciliar uma expressão da pluralidade da festa num mesmo vídeo compartilhado com participantes de motivações diversas, entre o sagrado e o profano?); técnicas e equipamentos utilizados até o momento nas captações: lapela, gopro, estabilizador…; dificuldades técnicas originadas dos ruídos diversos e da busca de depoimentos durante as festividades; perspectivas para criação de personagens coletivas e individuais; vídeo produzido para a comunidade religiosa de Barra do Mamanguape; comparação entre o circuito de trocas mobilizado antes, durante e depois das festividades com o circuito do Kula revelado por Malinowski no seu livro “Argonautas do pacífico ocidental”.

Gente presente nesse dia: Caio, Oswaldo, Muniz, Rafaella, Guilherme, Vitor, Letícia, Adneuse, Amanda, Diego, Glauco, João.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: