avaedoc

Início » Artigos publicados por Caio Nobre Lisboa

Arquivo do autor:Caio Nobre Lisboa

22ª – Sessão / Cine Clube Vertov – 2ª Sessão Especial Antifascista

43590340_1920006358075428_8429598055476494336_n

Dia 10/10/2018, quarta-feira, às 18:30, foi exibido em Rio Tinto/PB, no Beco atrás da Honda, o curta “Impávido Colosso”, dos cineastas Fábio Rogério e Marcela Ikêda!

Essa sessão especial, realizada em colaboração com o Cine Beco, deu continuidade à nossa programação antifascista pensada para esse período que antecede o segundo turno das eleições.

Ocasião que suscitou uma ótima troca de ideias, experiências e impressões sobre o atual contexto sociopolítico.

Duração: 15min.

Confira abaixo algumas imagens desse momento tão importante!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gente presente: Ane, Caio, Dyuliane; Emerson, Guilherme, João Vitor, Lady, Lucas, Melba, Murilo, Oswaldo, Rafaella.

21ª – Sessão / Cine Clube Vertov – 1ª Sessão Especial Antifascista

WhatsApp Image 2018-10-08 at 20.22.39

Dia 09/10/2018, terça-feira, às 19:00, foi exibido na Praça dos Ventos (Campus IV da UFPB, Rio Tinto/PB), o filme “O Processo” (2018), da documentarista Maria Augusta Ramos!

Essa sessão inaugurou uma programação especial, pensada para o presente mês de outubro, até às vésperas do segundo turno das eleições, de modo a refletir, conscientizar e amadurecer críticas acerca do contexto político atual.

A possibilidade real de vitória de um candidato e proposta de governo fascista, mobiliza-nos para desenvolver junto às comunidades acadêmica e do Vale do Mamanguape, um espaço de comunicação acerca das implicações e perigos de tal projeto para a sociedade brasileira como um todo.

Essas sessões exibirão curtas e longas metragens latino-americanos, a respeito da nossa dolorosa história de sucessivos golpes e ditaduras, orquestrados pelos mais infames e escusos interesses “nacionais” ou imperiais, em nome do dito “capital internacional” – ou o “mercado”, se preferirem.

Duração: 2h 20min.

Confira abaixo algumas imagens desse momento tão importante!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gente presente: Abade, Alexandre Estevam, Alexandre Souza, Ane, Caio, Diego, Francisca, Francisco, Gabriela, Geraldo, José, Kareiane, Lady, Larissa, Letícia, Linthelly, Lucas, Maxwell, Melba, Muniz, Nathália, Oswaldo, Pedro, Rafael, Rafaella, Rodrigo, Thoni.

20ª – Sessão / Cine Clube Vertov

WhatsApp Image 2018-09-30 at 21.21.33

Dia 01/10/2018, segunda-feira, foi exibido na ARANDU – Laboratório de Antropologia Visual (Campus IV da UFPB, Rio Tinto/PB), o filme “Estamira” (2006), do fotógrafo, produtor e diretor brasileiro Marcos Prado.

Estamira nos apresenta um outro olhar sobre o mundo, pelas agruras e alegrias da vida. Exercício de grande valor antropológico e humano. Uma experiência emocionante.

Duração: 2h 1min

Gente presente: Adneuse, Francisco, Muniz, Poeta Suan, Rafaella.

19ª – Sessão / Cine Clube Vertov

WhatsApp Image 2018-09-13 at 17.05.45 (1)

Dia 17/09/2018, segunda-feira, foi exibido na ARANDU – Laboratório de Antropologia Visual (Campus IV da UFPB, Rio Tinto/PB), o filme “Brava Gente Brasileira” (2000), da cineasta brasileira Lúcia Murat.

Produtora, diretora e roteirista, Lúcia Murat recria nesse filme a resistência do povo guaicuru contra os colonizadores portugueses, no atual pantanal sul-mato-grossense.

Um filme indispensável, levando-se em consideração os recentes retrocessos e ataques a que povos indígenas por todo país vêm enfrentando no atual contexto político e econômico.

Como de costume, discutimos sobre o filme ao final, acerca do impacto e impressões que este nos trouxe.

Duração: 1h 44min.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gente presente: Caio, Fernanda, Francisco, Geraldo, Glauco, Heloísa, João Vítor, Marlon, Muniz, Nathália, Rafaella.

18ª – Sessão / Cine Clube Vertov

WhatsApp Image 2018-09-10 at 08.13.43

Dia 10/09/2018, segunda-feira, foi exibido no ARANDU – Laboratório de Antropologia Visual (Campus IV da UFPB, Rio Tinto/PB), o filme “Pixote, a Lei do Mais Fraco” (1980), do cineasta brasileiro Hector Babenco.

Considerado um dos melhores filmes brasileiros de todos os tempos, “Pixote” retrata a dureza da vida nas ruas em nosso país, em especial para nossos jovens e crianças.

Um filme clássico e ainda tão urgente, que instigou um interessante debate ao fim da sessão.

Duração: 2h 8min.

Gente presente: Adneuse, Ana, Caio, Francisco, Muniz, Nathália.

17ª – Sessão / Cine Clube Vertov

WhatsApp Image 2018-09-02 at 13.28.31

Dia 03/09/2018, segunda-feira, foi exibido no ARANDU – Laboratório de Antropologia Visual (Campus IV da UFPB, Rio Tinto/PB), o filme “Carlota Joaquina, Princesa do Brazil” (1995), da cineasta brasileira Carla Camurati.

Sessão essa marcada pelo sentimento de tristeza e revolta para com a destruição do Museu Nacional, grande símbolo nacional no que se refere às artes e à ciência, inclusive para a antropologia: patrimônio esse iniciado há 200 anos, com a vinda da família real portuguesa ao Brasil, que foi tão bem-humoradamente retratada pelo filme em questão…

Duração: 1h 40min.

Gente presente: Alexandre, Caio, Fernanda, Muniz, Rafaella.

 

16ª Sessão Especial Semana da Visibilidade Lésbica e Bissexual

WhatsApp Image 2018-08-30 at 16.30.57

Dia 31/08/2018, sexta-feira, foi exibido na Praça dos Ventos (Campus IV da UFPB, Rio Tinto/PB), o filme etnográfico “Gosto mais que lasanha” (41 min), da professora Drª. Luciana Ribeiro.

Uma sessão especial dedicada à Semana da Visibilidade Lésbica e Bissexual, realizada ao ar livre.

Foi uma ocasião muito bonita em que as pessoas presentes se emocionaram e debateram sobre uma data tão importante, ocupando consideravelmente bem a Praça dos Ventos.

O filme suscitou ainda sorrisos e empatia para com as histórias contadas no filme, inspirando-nos para realizar novas sessões na Praça dos Ventos futuramente.

Confira abaixo algumas imagens desse momento tão especial!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gente presente: Adneuse, Amanda, Ananas, Caio, Carlos, Fernanda, Gabriela, Geraldo, Guilherme, Heloísa, João Vitor, José Ailton, Juscelino, Márcia, Marilayne, Melba, Mércia, Murilo, Rafael, Samara, Sofia, Thiago, Welando.

Dissertação: Performances da Fanfarra no Contexto do Desfile Cívico de Rio Tinto (em andamento)

Mestrando: Caio Nobre Lisboa.

Professor orientador: João Martinho Braga de Mendonça.

 

Resumo

 

Em Rio Tinto, dentre os meses de julho a setembro, bandas marciais, fanfarras e bandas de música se reorganizam, ensaiam e competem entre si por ocasião dos desfiles cívico-militares da semana da pátria e de encontros de bandas realizados em outras cidades após ou anteriormente ao sete de setembro. Esta pesquisa se concentra em uma fanfarra em particular, a Fanfarra Antônia Luna Lisboa acerca dos conflitos que surgem da busca desses jovens em expressar a si mesmos, com seus gostos musicais, fardas, corporalidades e performances, no contexto de uma comunidade musical e ritual tradicionalmente mais contida. Desse modo, procuramos entender o que seria uma “carnavalização” de fanfarras, identificando e comparando as semelhanças e diferenças da Luna em diferentes situações de performance através do registro de áudios, fotografias e vídeos.

TCC: Ofício e performance do músico no desfile de sete de setembro de Rio Tinto (2016)

Aluno: Caio Nobre Lisboa.

Professor orientador: João Martinho Braga de Mendonça.

Avaliadores: Oswaldo Giovannini Júnior; Kelly Emanuelly de Oliveira.

 

Resumo

 

Dedicado a Bandas Marciais, Fanfarras e Bandas de Música do Município de Rio Tinto – PB, o presente trabalho parte da interlocução com um músico dessa cena musical da cidade, em um intento que exigiu um aporte teórico interdisciplinar: começando pelas imagens, através da Antropologia Fílmica de Claudine de France; em seguida, com a Música e a Arte, apresentando outras implicações relativas ao conhecimento da sociedade e das culturas, assentado nos estudos de performance de Richard Schechner; e por fim, fundamentado nos estudos sobre Memória, incluindo ainda os estudos de Histórias de Vida e Etnobiografia. Os objetivos residiram, em suma, em discorrer sobre a importância dessa cena musical no contexto do desfile Cívico, sobre o que essas bandas significam e transmitem da e para a sociedade, as relações que constituem, os espaços que se utilizam e as mudanças que se operam e anunciam por elas. Igualmente, a metodologia entrecruzou aspectos de outras, dentre as quais se destacam a observação participante, a observação diferida, a metodologia exploratória em Antropologia Visual e a história oral. Com resultados desde a obtenção de materiais audiovisuais e fotografias de performances musicais, destacando-se os desfiles cívicos de Primeiro e Sete de Setembro da cidade, bem como transcrições de áudio de duas entrevistas de áudio-vídeo-elicitação, retornado ao interlocutor, e finalmente, um trabalho escrito e audiovisual finais, orientados a um conhecimento e análise desse universo a mim apresentado da forma mais acurada e ética possível.

Palavras-chave: Antropologia Visual; Estudo de Performances; Música; Desfile Cívico.

 

________________________________________________________________

 

Abstract

 

Dedicated to Marching Bands, Fanfares and Brass Bands of the County of Rio Tinto – PB, the present work starts of the interlocution with a musician of this musical scene of the town, in an intent who demanded an interdisciplinary theoretical framework: starting out by images, across the Filmic Anthropology of Claudine de France; in followed, with the Music and Art, presenting other implications relative to the society and cultures knowledge, seated on performance studies by Richard Schechner; and lastly, grounded on studies memories, further including the studies of Life History and Etnobiography.  The objectives resided, in short, in expatiate about the importance of this musical scene in the context of the civic parade, about what these bands means and transmit from and to society, the relationships that constitute, the spaces that used itself and the changes that operate itself and advertise for them. Equally, the metodology crisscrossed aspects of others, among which stand out the Participant Observation, the Deferred Observation, the exploratory methodology in Visual Anthropology and the Oral History. With results since getting audiovisual materials and photographs of musical performances, highlighting itself the civic parades of First and Seventh of September of the town, well as audio transcripts of two audio-video elicitation interviews, returned to the interlocutor, and finally, a final written work and audiovisual, oriented to a knowledge and analysis of this universe for me presented in the more accurate and ethical way possible.

 

Keywords: Visual Anthropology; Performance Studies; Music; Civic Parade.

 

Link para o trabalho audiovisual integrante:

A música e as bandas no contexto do desfile cívico de Rio Tinto – Legendas em Português